Reader Comments

Chá Detox De Gengibre Pra Emagrecer 3 Kg Em 5 Dias

"Joao Lorenzo" (2018-06-11)

 |  Post Reply

recursos

Há milhões de bactérias habitando nosso intestino. E elas podem ajudá-la a emagrecer - ou tornar isto uma atividade difícil! Perder aqueles indesejáveis quilos a mais deveria ser uma descomplicado equação de consumir menos calorias do que gastamos, certo? Será que desse modo é só fechar a boca mesmo? O raciocínio poderá até estar direito, porém, com os avanços da ciência, descobrimos diversos fatores que são capazes de fazer essa conta balançar para um lado ou pro outro. Sabemos hoje da intervenção da genética, da epigenética — que prontamente falamos aqui — do modo, e também fatores ambientais e emocionais.


A personagem mais recente a entrar nesta história é a microbiota, o conjunto de bactérias que moram no seu intestino! Elas conseguem ser um fator de peso — literalmente — pra definir se você será uma daquelas pessoas que come e não engorda de jeito nenhum ou faz parte do time que vive lutando com a balança.


Entretanto como sabemos que os micro-organismos que exercem tudo isto? O primeiro indício de que bactérias do intestino poderiam estar relacionadas com o excedente de peso veio do episódio de que indivíduos obesos apresentam pequeno diversidade de espécies no sistema digestivo. Ademais, os bichinhos que existem ali são diferentes daqueles que habitam o corpo humano de sujeitos magros.


  1. Beba chás digestivos

  2. 2 - Queimando a gordura localizada

  3. dois fatias de pão light

  4. 1 banana amassada com um col. (sopa) de quinua e um col. (sobremesa) de mel

  5. Tempere a comida com pimenta

  6. Chá de maçã com canela

Contudo só isso não é suficiente para cravar a conexão entre as duas coisas, certo? Eu não poderia esquecer-me de citar um outro web site onde você possa ler mais a respeito, quem sabe neste instante conheça ele entretanto de cada maneira segue o hiperlink, eu amo extremamente do tema deles e tem tudo haver com o que estou escrevendo nessa postagem, veja mais em clique em seguinte página da web. Para pesquisar uma ligação de razão e efeito precisávamos de um experimento com animais em um recinto sob moderação, como o laboratório. E foi exatamente o que foi feito. Pesquisadores nos EUA utilizaram camundongos estéreis, livres de germes. Esses animais são desenvolvidos em uma bolha, sem contato com o universo externo. Desta maneira, é possível manipular as bactérias que vão pro intestino deles, escolhendo exatamente quais espécies serão inseridas. O objetivo é perceber que efeito elas provocam. A primeira coisa percebida foi que esses ratinhos livres de germes são os populares "magros de ruim"! Eles não engordam de jeito nenhum, mesmo se os cientistas oferecessem uma dieta muito calórica — alguma coisa como consumir lanches do McDonald’s diariamente.


Numa segunda parte do estudo, o time americano selecionou bactérias de animais obesos e de animais magros para inocular nos tais camundongos estéreis. Adivinha o que aconteceu? Isto mesmo, as cobaias que receberam a microbiota dos ratos gordinhos engordaram. Enquanto isso, a parcela que adquiriu os micro-organismos dos magros permaneceu esbelta.


Detalhe considerável: os 2 grupos continuaram a consumir exatamente a mesma dieta. A única diferença era mesmo as espécies de bactérias. Aí os cientistas decidiram usar bactérias presentes pela barriga dos seres humanos e repetiram o experimento. O consequência foi igualzinho! AlimentaçãoAfinal, por que engordamos clique em seguinte página da web tal grau? Você localiza sendo assim que as bactérias são dificuldade?


Calma: elas assim como exposição a solução. O passo seguinte desse experimento foi colocar os camundongos obesos pela mesma gaiola dos magros. Estes animais têm o estranho vício de comer o cocô de seus amigos. Em algumas expressões, os ratos gordinhos ingeriram os micro-organismos dos companheiros que estavam dentro do peso. Boa notícia: eles emagreceram. Antes de sair por aí procurando um amigo magro disposto a doar, digamos, sua geração intestinal, vamos captar como as bactérias conseguem nos fazer ficar mais gordo ou emagrecer.


Em primeiro recinto, elas liberam substâncias que irão interagir com o sistema endócrino, imune e nervoso. Deste jeito, dependendo de quais produtos elas fabricam, acabam regulando (ou desregulando) o metabolismo. Esses bichinhos podem, a título de exemplo, fazer você secretar mais ou menos hormônios envolvidos em regular as taxas de açúcar no sangue, o acúmulo de gordura no fígado ou até o nível de fome. Eles bem como conseguem liberar elementos nocivos que atravessam as paredes do intestino e causam uma reposta inflamatória no corpo típica de quem tem obesidade. Só não vá permanecer com raiva das tuas moças: você podes (e precisa) gerar um local fantástico para elas viverem!



Add comment